O Trânsito Louco do Vietnam

O trânsito em Hanoi, capital Vietnamita é completamente maluco. Haja adrenalina! As motos são onipresentes. Ao contrário das ruas chinesas, já dominadas pelos carros, as motos são, de longe, o veículo mais popular no Vietnã. O incansável país, que não para de crescer, de mudar de cara, se locomove sobre duas rodas.

Nas ruas do Vietnã nada é impossível. Todos os dias, sobre uma única motocicleta, é comum ver cenas do tipo: três operários da construção civil, que ainda carregam suas ferramentas; famílias inteiras, com as crianças sem capacete; mulheres bem vestidas com salto alto agulha; homens fazendo mudanças, carregando até sofás; e outras cenas que desafiam as leis da física ou do que entendia como bom senso. Os vietnamitas fazem de tudo com suas motos, desde mudanças e entrega de mercadorias à simples locomoção de casa para o trabalho ou escola.

O trânsito funciona mais ou menos assim: as motos, milhares delas, vêm de todos os lados e podem seguir para qualquer direção. Elas estão sempre muito grudadas uma às outras, especialmente nos cruzamentos, quando, apesar de todos estarem em baixa velocidade, parece que todo mundo vai esbarrar em todo mundo.

Os turistas descrevem o trânsito do país como: caótico, sem leis, perigoso, louco, e por aí vai. Mas o mais interessante é que por trás do aparente caos as coisas funcionam, melhor do que em São Paulo e no Rio de Janeiro, por exemplo. Depois que se acostuma, certamente é mais seguro guiar aqui do que nas ruas das grandes cidades brasileiras. Os vietnamitas, além de guiarem bem suas motos, costumam ir devagar. Além disso, não vejo engarrafamentos em Hanói. As coisas estão sempre andando, por mais que devagar.

Aparentemente todos têm motos, do mais pobre ao mais rico. Da universitária ao camponês, da jovem de quinze anos ao senhora de sete décadas, todos encaram a “loucura” das ruas do país. As motos costumam ser simples, não muito potentes. Já os mais privilegiados optam pelas automáticas e mais estilosas.

Acredito que este incompreensível trânsito reflita em partes a alma de um país que está sempre se movendo, mesmo que devagar, em direção a uma vida melhor. As leis, aquelas que estão no papel, são frequentemente desrespeitadas, o que não quer dizer que não há regras implícitas. Mas isso é tema para tese mestrado. Uma coisa é fato, descobrir o Vietnã é melhor e mais divertido sobre as duas rodas de uma moto, como fazem os locais.

Dá só uma olhada no Caos(rsrs):

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *